sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Participar é....(I)

Como Dezembro chega num instante....

Inicio hoje um ciclo de discussão publica sobre o Orçamento, Plano Plurianual de Investimentos e Grandes Opções do Plano para o ano de 2012, todas as propostas que forem consolidadas neste debate serão apresentadas ao executivo municipal.

Obviamente daremos prioridade às medidas de contra-ciclo da crise

para abrir o debate....

1. Educação (Acção Social Escolar)

Aquisição de manuais escolares (2012/2013 - 2013/2014 - 2014/2015) para todos os alunos do 1º Ciclo do Ensino no Concelho de Salvaterra de Magos.

(para não haver acusações de eleitoralismo, sugiro um amplo compromisso de honra, e assinado, entre todas as forças políticas do concelho)

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Carta aberta a D. José Policarpo


Marinhais, 26 de Setembro de 2011

Quero dizer-te que não aceito o que dizes, “ninguém sai da política de mãos limpas”?!?! Tens a noção dos milhares e milhares de portugueses que ofendes-te?

Se já foi mau, muito mau, a demagogia instituída na passada sexta-feira na Assembleia da República, como lembra e bem o Pedro Marques Lopes (opinião a cima de qualquer suspeita) “sexta-feira passada não foi um dia como qualquer outro na Assembleia da Republica. Nessa data os deputados disseram aos portugueses que os seus representantes, na dúvida, são criminosos” (todos menos os do PS que não entraram nesta deriva populista), e acrescenta ele ainda... “mas, como se isso não bastasse, fizeram mais: consagraram a inversão do ónus da prova, o mais sagrado princípio do estado de direito”.

Embarcaste neste populismo e como não quem não se sente não é filho de boa gente e porque há coisas às quais não se dá a outra face. Quero perguntar-te quem achas tu que és? Que especial atribuição te deu Deus para julgares e condenares assim milhares e milhares de portugueses, que todos os dias fazem da participação política um acto nobre das suas vidas, nas assembleias de freguesia, juntas de freguesia, assembleias e câmaras municipais e demais órgãos políticos de representação local, regional e nacional. 

Quem te julgas tu para nos julgar e condenar assim!! Assumiste a demagogia e o populismo instituído na sexta-feira…e cá vai disto!!  “ninguém sai da política de mãos limpas”.

Tenho a certeza que os milhares e milhares de políticos deste país se sentiram ofendidos na sua honra, mas também tenho a certeza que não te farão o mesmo! Dizendo por exemplo que todos os padres são abusadores de crianças. Não confundimos uma árvore com a floresta, se sabes alguma coisa, faz o que te compete como cidadão, denuncia, apresenta as provas e aguarda que a justiça seja feita.

Um pedido de desculpa não adianta de nada, nem sei se há pais nossos e aves marias que te perdoem tamanho desrespeito pelos portugueses!

Podia terminar dizendo….Deus te perdoe, mas sinceramente não o mereces…

Nuno Mário Antão

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

...


Caro Pedro,

Se me permites, deixo-te uma sugestão de contenção da despesa e aumento da eficiência do estado, não me leves a mal, mas como diz a sabedoria popular...matavas dois coelhos com uma só cajadada!

Pedes ao Miguel e ao Filipe (que tendo sido eleito Deputado por Santarém, conhecerá como a palma da mão a situação) para concentrarem a GNR no concelho de Salvaterra de Magos na freguesia dos Foros de Salvaterra.

Evitas os custos de rendas e manutenção dos "quartéis", sim entre aspas porque os edifícios são tudo menos isso! Evitas os guardadores de quartéis e libertas os homens e mulheres para efectivamente aquilo que nos interessa, garantir a nossa segurança. (ou como alguns gostam de dizer, sensação de segurança)

Provavelmente vais ter o Abrantes (segundo consta pré candidato a candidato dos bloquistas) e outros pré's e pró's contra, mas não te preocupes, com o tempo isso passa-lhes, fizeram o mesmo em 2005 com a minha proposta de construir apenas dois centros escolares no concelho para todas as crianças das seis freguesias.

Certo da tua atenção para a proposta, aguardo ansiosamente pela resposta, que espero breve, pois bem sei que o que proponho não é, nem de perto nem de longe, tão complexo como tirar gravatas num qualquer ministério)

Um abraço

Nuno Mário Antão


PS - Certamente que aquele senhor, dos olhos azuis quase tão bonitos como os meus, vai gostar deste corte na despesa!

Nota - Como passaste uma vida a ouvir o Ângelo, espero que acompanhes a posição dele (se não ouviste pergunta ao Relvas, ele não perde um programa do futuro correspondente do governo em Washington) sobre a privatização das Águas de Portugal.

Finalmente’s….ao melhor estilo do CAA, esta opinião apenas me vincula a mim! O que não tem nada de estranho uma vez que é a minha!!! Mas como está na moda, não o poderia deixar de dizer J

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Começar pelo ponto certo...pelo inicio!

Entendo que só faz sentido a nossa participação na vida pública quando sentimos que acrescentamos algo ao desenvolvimento do nosso território e das nossas gentes.
O que nos diferencia, seremos mesmo todos iguais como genericamente somos rotulados? Não, não somos!
O Concelho de Salvaterra de Magos é hoje um dos territórios mais estimulantes para quem gosta de pensar, apresentar ideias, debate-las e executa-las! Falta tudo! Não há estratégia de desenvolvimento social e económico que permita um crescimento sustentado da qualidade de vida das pessoas. Infelizmente o estimulo para o futuro tem um preço no presente, a estagnação a que fomos submetidos levou-nos a perder oportunidades e que em alguns casos se tornaram irremediáveis…mas…ainda que vivendo momentos de muita dificuldade, novas oportunidades surgem todos os dias, assim se saiba o que se quer!
Tentarei esquematizar um conjunto de ideias executáveis e que permitem acrescentar valor ao nosso território e seus habitantes.
1.    O que queremos para o nosso território?
Saber o que queremos, onde e porquê é fundamental! Que desenvolvimento desejamos? Não será certamente o da periferia de Lisboa, e assim sendo temos de ter muito bem definido para onde queremos fazer crescer as nossas vilas e que tipo de construção queremos. É importante começarmos pelo fecho da malha urbana, precisamos de definir muito bem as zonas urbanas, das industriais, agrícolas e ambientais. Só com um pensamento muito bem definido sobre estas áreas podemos avançar coerentemente, com um rumo bem definido, sabemos onde estamos e para onde queremos ir!
2.    E para onde queremos nós ir?
Posso definir-vos este desenvolvimento usando o exemplo de uma auto-estrada de quatro faixas: igualdade de oportunidades; educação; desenvolvimento económico / emprego; turismo.
a)    Turismo
Os territórios desenvolvem-se com pessoas, com as que cá estão (a estas irei mais tarde) e com as que nos podem visitar, acrescentando valor à nossa economia com a sua presença. Podemos definir dois tipos de aposta neste sector, os projectos âncora, que são os que nos diferenciam à escala nacional, europeia e mundial e os projectos complementares que permitem alargar a oferta turística dando a conhecer as nossas tradições perpetuando-as no tempo.
Projectos âncora: Museu do Arroz (a construir em parceria com a Orivárzea e o Centro Operativo e Tecnológico do Arroz, juntando assim o melhor que temos na produção nacional com a investigação aplicada); Palácio da Falcoaria (único na Península Ibérica); Complexo Mesolítico dos Concheiros de Muge (o maior do mundo).
Projectos complementares: Aldeia Típica do Escaroupim, Barragem de Magos, Museu do Rio, Museu Etnográfico de Glória do Ribatejo, Praça de Toiros de Salvaterra de Magos, Olaria, Cestaria, Bordados da Glória, entre muitos outros.
b)    Desenvolvimento económico / emprego
Só com a criação de condições para a fixação de investidores, há criação de emprego e fixação de população, para além do pólo industrial de grande dimensão em Muge (o existente e o previsto), precisamos de avançar com a construção de uma Zona de Desenvolvimento Económico no eixo Salvaterra de Magos – Foros de Salvaterra, que permita dois tipos de investidores, a) os locais de micro, pequena e média dimensão; b) os nacionais e internacionais.
Fechando a malha com espaço de desenvolvimento nas freguesias de Marinhais e Glória do Ribatejo.
Só criando condições para o desenvolvimento dos projectos locais e atraindo investimentos nacionais e estrangeiros podemos criar emprego, acrescentar valor às famílias e desenvolver o nosso território.
c)    Educação
Pilar fundamental no desenvolvimento de uma sociedade, não é possível pensar o futuro sem uma educação qualificativa das nossas gentes! A quantidade de infra-estruturas deve ser substituída pela qualidade das mesmas, e estando o concelho no segundo eixo de desenvolvimento da Grande Lisboa (definido o primeiro eixo pela Ponte Vasco da Gama e o segundo pela Ponte das Lezírias) não podemos de deixar de criar condições para alargar a oferta a todos os ciclos de formação, incluindo a formação superior. Só assim qualificamos, teremos uma escola a tempo inteiro e formação ao longo da vida.
d)    Igualdade de oportunidades
(O pilar agregador de todo o projecto)

Só faz sentido querer ser decisor político / público se formos geradores de igualdades de oportunidades, como vos pude demonstrar de uma forma genérica (com o compromisso de desenvolver cada uma das ideias nos próximos tempos) pretendo coerência e coesão territorial, criação de emprego e valor acrescentado nas economias locais, qualificação e conhecimento!

Assim geramos igualdade de oportunidades e justiça social para a 1ª e 2ª idade, mas uma sociedade só evolui verdadeiramente se respeitar e criar condições dignas às 3ª e 4ª idades, os nossos “velhos”! Estes serão o centro das nossas prioridades, infra-estruturas de qualidade, mobilidade e acessibilidades, utilização do tempo! Seremos inflexíveis na defesa da igualdade de oportunidades para estes homens e mulheres que tanto têm para dar à sociedade.

Seremos mesmo todos iguais como genericamente somos rotulados?

Não, não somos!

Nunca é um exercício fácil, nunca o é! Escrever em meia dúzia de palavras o que sonhamos, o que queremos e como o queremos é extremamente difícil, genericamente acho que me fiz entender, os próximos tempos serão ainda mais claros.
Nuno Mário Antão
Marinhais, 1 Agosto de 2011

Gostava sinceramente que o Município de Salvaterra de Magos pudesse adquirir o terreno em frente à antiga escola secundária, requalificando toda a zona da Avenida ao Bairro Chesal da Peteja à EN118, e instalasse ali uma verdadeira Vila do Saber, da creche à formação superior!
Será mais um factor de diferenciação, que nos permitia crescer localmente, afirmando-nos no contexto regional e nacional como uma terra com passado, presente e preparada para o futuro.

A MINHA RUA

O Munícipio de Salvaterra de Magos ainda não aderiu a esta iniciativa, gostava de saber qual a razão!




"A MINHA RUA" permite a todos os cidadãos reportar as mais variadas situações relativas a espaços públicos, desde a iluminação, jardins, passando por veículos abandonados ou a recolha de electrodomésticos danificados. Com fotografia ou apenas em texto, todos os relatos são encaminhados para a autarquia seleccionada, que lhe dará conhecimento sobre o processo e eventual resolução do problema.

Para melhor indicar o local da ocorrência pode recorrer ao mapa disponível no formulário. Para o efeito seleccione primeiro o distrito, depois o município e, por fim, a freguesia. Depois, clique sobre o mapa onde poderá indicar exactamente o local. Neste mapa pode também consultar outras ocorrências já reportadas.

Para saber quais as Autarquias que já aderiram, seleccione o distrito e consulte os municípios disponíveis.


in Portal do Cidadão

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Manobras de diversão

“Esménio continua a perder no combate com Ana Cristina”
Fundamental Regional, n.º 213 Julho de 2011

Olhe que não, olhe que não…quem perde é o Concelho de Salvaterra de Magos!
Este é um dos motivos que afasta as pessoas da participação política, a ofensa! Há falta de melhor argumento ofende-se….Ana Cristina Ribeiro é com toda a certeza uma das maiores especialistas em criar manobras de diversão para justificar a suas próprias falhas e incumprimento da palavra dada!

Esménio não perde, quem perde é a democracia! É próprio de um estado de direito a definição das regras de funcionamento da sociedade, em momento algum a lei impede um funcionário autárquico de exercer um dos mais nobres direitos que temos, o de podermos ser candidatos a um qualquer órgão autárquico.

Não se conhece uma única crítica de Ana Cristina Ribeiro ao desempenho profissional do Vereador Hélder Esménio, uma só! Mas de repente lembra-se de começar a ofender quem representa legitimamente a população do Concelho de Salvaterra de Magos, porque será, porque será?

Já todos sabemos que Ana Cristina Ribeiro convive mal com a democracia, com a divergência, com o debate! Reage sempre mal quando alguém não lhe dobra as costas! A prova disso está na alta rotação com que vereadores, chefes de gabinete, secretárias (os), adjuntos, chefes de serviços e outros estão na sua “equipa”, são uma espécie de pisca pisca…ora estão, ora não estão! Tudo isto era irrelevante, não fosse a inércia que gera no desenvolvimento do Concelho de Salvaterra de Magos.

Para vos ser sincero pouco me interessam as razões de tanta mudança, acredito sempre que se muda numa tentativa genuína de melhorar as coisas! Acredito sempre, mas como acreditar não chega a realidade tende sempre a contrariar-me…

Criada a manobra de diversão, há quem não entre nesse jogo e assim sendo vamos a algumas das coisas que realmente interessam…

Qual é a estratégia de desenvolvimento sustentável que Ana Cristina Ribeiro nos apresenta? Para onde caminhamos em termos sociais, ambientais, económicos?
Nas questões sociais, o que está a ser feito no sentido de uma maior coesão entre os territórios e pessoas das diferentes freguesias e das diferentes gerações?

Como vamos minimizar as desigualdades geradas pela construção dos centros escolares Marinhais e Salvaterra de Magos? Que requalificação (e quando) teremos do parque escolar nas freguesias de Foros, Glória do Ribatejo, Muge e Granho?
            Com o progressivo e galopante envelhecimento da população, que condições estão a ser criadas para qualificar a vidas destes homens e mulheres, que na esmagadora maioria dos casos ainda tem muito para dar à sociedade.

            Os momentos de crise, são também momentos de oportunidade. Este é momento de colocarmos ao dispor das pessoas infra-estruturas modernas e competitivas que permitam o aproveitamento da nossa localização e das acessibilidades que temos ao nosso dispor (A13, A10, A2, A1, Ponte das Lezírias, Ponte Salgueiro Maia). Como e quando será realizada a ampliação da zona industrial de Muge, para quando semelhante infra-estrutura no eixo Foros de Salvaterra – Salvaterra de Magos?

            É claro que nada disto é possível sem um Plano Director Municipal que sirva de âncora a um projecto de desenvolvimento! Todos sabemos que nenhum vento é favorável quando não sabemos para onde vamos! Sr.ª Presidente quando teremos uma proposta concreta de revisão do PDM?

Muitos são os problemas estruturais e conjunturais que temos, para nenhum deles conhecemos as respostas da maioria que gere o nosso concelho, hoje fico-me por estes.

A ofensa é arma dos fracos!

Nunca entraremos por este caminho, de nós esperem respeito, propostas e debate de ideias!

Ana Cristina não ganha! O Concelho e as suas gentes é que perdem!



Nuno Mário Antão
Galhota Street, 29 Julho de 2011



“Baú das Memórias”

No dia 5 de Março de 2008 Ana Cristina Ribeiro apresentou um levantamento das condições de acessibilidade em espaços públicos (que tinha sido realizado em Março de 2007, depois de constantes pedidos do Vereador do PS), na altura tive a oportunidade de lhe solicitar a apresentação de um plano de trabalhos que levasse ao cumprimento da legislação. O Concelho continua a não cumprir a legislação em vigor sobre esta matéria, não se conhece nenhuma estratégia que leve ao fim destas barreiras arquitectónicas que tanto condicionam a vida das pessoas. Não aceitou a criação do Provedor do Cidadão com Deficiência com o compromisso de transformar o concelho num exemplo de acessibilidade e mobilidade para as pessoas.

O resultado hoje é bem conhecido de todos!

sexta-feira, 22 de julho de 2011

hummmm....

na passada semana recebemos em casa o Boletim Municipal de Salvaterra de Magos, sem querer alargar-me nos comentários apenas pergunto...porquê?

Faz sentido cortar em tarefas municipais essencias para a manutenção dos niveis de qualidade de vida das nossas populações e manter, ou melhor, retomar esta publicação?

li e gostei.... :(

Boletim Municipal
O Nosso Concelho
Câmara Municipal de Salvaterra de Magos

"Prosseguem a bom ritmo os trabalhos de construção do Centro Escolar de Marinhais."

(distribuido em Julho de 2011)

Early Morning in Galhota

terça-feira, 12 de julho de 2011

Semana da Juventude, Centros Escolares e Requalificação do Parque Escolar, Ocupação de Tempos Livres.

Que poupança Sr.ª Presidente…
cortar… na Semana da Juventude, na Ocupação dos Tempos Livres das crianças de cinco freguesias (Foros de Salvaterra, Glória do Ribatejo, Granho, Marinhais e Muge), não arrancar com a obra do Centro Escolar dos Foros de Salvaterra e não apresentar nenhum plano de requalificação do Parque Escolar das Freguesias de Foros de Salvaterra, Glória do Ribatejo, Granho e Muge…é efectivamente uma grande poupança!
Todos conhecemos as inúmeras consequências dos constrangimentos orçamentais a que o nosso país foi sujeito, a todos se pediu (e pede) sacrifícios na sua qualidade de vida, nas suas prioridades! Cada um de nós, individualmente considerados e nas mais diversas formas de organização colectiva (como é o caso dos municípios), tentou (e tenta) encontrar a melhor forma de cortar, de poupar, de viver! Cada um de nós, enfrenta a crise com as suas prioridades! O Município de Salvaterra de Magos encontrou uma forma singular de “poupar”…
…não realiza a Semana da Juventude (que mais não foi, nos últimos anos, senão o preâmbulo das tradicionais festas nas freguesias e que este ano estava anunciado para ser o epílogo. Salvaterra de Magos, o Concelho! Precisa efectivamente de ter políticas voltadas para a Juventude, não precisa de mais concertos e festas! Precisa de promover a igualdade de oportunidades para todos os seus jovens, precisa de fomentar o relacionamento inter-geracional entre jovens e velhos, precisa de dinâmica cultural, de mais participação e cidadania das suas gerações mais novas. Era isso que a Semana da Juventude promovia? Infelizmente não era!)
…não inicia a obra do Centro Escolar dos Foros de Salvaterra (com a justificação de que não há apoios comunitários, mas houve algum tipo de apoio para o maior investimento feito no Concelho? Para os mais distraídos…foi o Complexo Desportivo de Marinhais!) não apresenta o plano de requalificação do parque escolar das restantes freguesias! Assobiam para o lado e queixam-se dos cortes nas transferências da administração central!
Pois muito bem…ficarão na história, na história da criação do maior desequilíbrio pedagógico criado no Concelho de Salvaterra de Magos! Tudo do “bom e melhor” para uns e tudo do pior para outros!
…e para terminar, cortaram na ocupação dos tempos livres das crianças de cinco das nossas freguesias, provocando com isso inúmeros condicionamentos aos pais!
Em tempo de crise, o que se pede aos decisores locais é que estejam à altura da confiança que o povo lhes colocou! Que encontrem as melhores soluções para dignificar e qualificar a vida! Não é cortar onde é mais fácil!
Não é assim Sr.ª Presidente que se prepara o futuro! Não é assim que teremos um Concelho com Futuro, como gosta de afirmar. Não é assim….
Nuno Mário Antão
Galhota Street, 12 Julho de 2011
Em 2005 apresentei uma proposta de criação da “Casa das Gerações”, um dia destes voltarei ao tema, mas o que me parecia uma excelente forma de resolver os problemas das diversas gerações na altura, hoje ainda me parece mais! Com um projecto simples, resolvíamos grande parte dos problemas de solidão das gerações mais velhas, ocupávamos as gerações mais novas e tranquilizávamos as gerações intermédias com um espaço disponível para descendentes e ascendentes.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Plano Director Municipal

Já só encontro uma explicação para o facto de ainda não ter havido revisão do Plano Director Municipal em Salvaterra de Magos...incompetência!!

Seneca disse e bem, "Quando se navega sem destino, nenhum vento é favorável".

Assim vamos nós por cá....sem destino!!!

Nuno Mário Antão
Galhota Street - Marinhais, 11 Julho de 2011


e bem que se pode tentar ganhar tempo.... "O Mirante"

sexta-feira, 8 de julho de 2011

nós por cá....

faz tanto sentido....

"O castigo por não participares na política, é seres governado por alguém mais mediocre que tu."
Platão

...não encontro melhor forma de descrever o actual estado da governação no nosso concelho.

Nuno Mário Antão
Galhota Street - Marinhais, 8 Julho de 2011

Early Morning in Galhota

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Habituem-se

“Um murro no estômago” PPC (sobre a decisão da Moody’s)


Recordo as palavras de um camarada…”habituem-se, habituem-se”.

Chega a meter nojo, ouvir e ler tanta virgem ofendida! São os mesmos indignados de hoje que ontem (com Sócrates) esfregavam as mãos de contentes a cada downgrade.

Habituem-se…o objectivo é destruir o Euro e já se percebeu que vale tudo!!!


Nuno Mário Antão


Galhota Street, 7 Julho de 2011


Já agora... Ainda não ouvi o PR sobre se de facto atingimos ou não o limite dos sacrifícios pedidos aos portugueses, agora que já conhecemos o PEC V e caminhamos a “passos largos” para o VI…

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Diário de Campanha (1)

E na continuidade da Grande Reportagem da TSF "Vermelho da Cor do Céu"

É verdade estas pessoas existem e onde andam elas...muito complicado, nós estamos estereotipados para ter crianças ditas "perfeitas", não é de agora, parece-me que foi desde sempre, vivemos este drama há gerações e gerações a esta parte (este tipo de situações costumam acontecer aos outros, mas esquecemo-nos que nós somos os outros dos outros e, quando nos vemos a braços com uma situação destas, não queremos acreditar que seja verdade, depois vem a culpa, porquê a mim e só depois a aceitação ou não)....enfim!

Onde andam as nossas "pessoas diferentes", onde?!?

Sou capaz de passar semanas sem ver um invisual, uma pessoa de cadeira de rodas....onde estão elas, escondidas em casa....temos que as trazer para a rua...mudar mentalidades e, como é obvio, acessibilidades...

Estas pessoas têm que ter liberdade, vontade e capacidade de ir beber um café seja onde for, como qualquer outro de nós...pois é, é muito complicado!!!

Não podemos continuar nesta amargura e nada fazer!

Eu própria, e por uma boa razão, se quiser ir com o meu caninolas de 2 meses e pouco a qualquer lugar público, numa aldeia, vila, cidade ou lugar....vejo-me e desejo-me, pois não há possibilidade de movimentar carros de bebé, ou é o passeio que é alto ou não existe, ou até não há rampa, ou se há acesso há carros a emperrar o caminho.....tudo é muito complicado, quanto mais fazer deslocar um invisual, um idoso ou uma cadeira de rodas!!!!!!!!!!!

A mudança passa por todos nós, todos...cada um tem que fazer o seu bocadinho e deixar de olhar apenas para o seu umbigo!!

E não são as coisas, os sítios, o sistema, são as pessoas...o problema são as pessoas, sempre!!!!

Vou maçar, mas conto uma pequena história que representa uma enésima parte da sociedade em que vivemos...na altura do Natal, eu grávida, desloquei-me "encarneirada" pelo sindroma consumista do Natal, a um Centro Comercial para fazer compras...existem muito poucas lojas que têm caixas prioritárias, mas serão as lojas que têm que ter caixas especificas ou são as pessoas que deverão olhar ao seu redor?!?!

Enfim, raramente me usei dessa prioridade, felizmente porque não necessitei...

- Pessoas consideradas prioritárias são: grávidas, pessoas com crianças de colo-lembro que crianças de colo não são crianças de 5 anos ao colo, mas sim pessoas acompanhadas com crianças até aos 3 anos, ao colo ou não, "deficientes" e idosos". - ...numa loja desloquei-me efectivamente a uma caixa prioritária, porque já estava exausta, havia uma fila imensa e a pessoa que iria ser atendida, deu-me prioridade, pois então houve um Sr. na casa dos seus 60 anos que indignadíssimo de haverem pessoas a passarem à frente, simplesmente atirou o livro que iria comprar para cima da menina da caixa e abandonou o local....pois é... este Sr. esperemos nós que seja o prioritário de amanhã, mas como ele reagirá quando for a sua vez?!?

São estas pessoas com que lidamos todos os dias....

Cabe a cada um de nós que se indigna com estas questões a "responsabilidade" de ir mudando o estado da nação, se cada um fizer um bocadinho, o que conseguir, o que tiver possibilidade....o amanhã será completamente diferente, não hajam duvidas, mas teremos que ser NÓS TODOS......

Beijos & Abraços

Anabela Pires e Nuno Antão

Vermelho da Cor do Céu - TSF

Com a azafama das Eleições muito nos passa ao lado! Espero que muitos tenham tido a oportunidade de ouvir, se tal não aconteceu ainda vão a tempo! Vale a pena!!


E que me perdoem a expressão é mesmo "ver o mundo com outros olhos".

Dêem a ouvir às vossas crianças para que possam perceber outras realidades e faremos delas pessoas melhores...isso...cabe-nos a nós pais, amigos, familiares... a responsabilidade!

Anabela Pires
 
Vermelho da Cor do Céu - TSF

Logo mais...

Diário de campanha

Duas prespectivas sobre o dia de/da campanha eleitoral, convosco queremos partilhar sem complexos o que vemos, ouvimos e sentimos. Beijos & Abraços

Anabela Pires & Nuno Antao

terça-feira, 10 de maio de 2011

A credibilidade de um projecto político e dos políticos constrói-se com honestidade!

Querer afirmar as suas posições moldando os factos não é sério e visa única e exclusivamente capitalizar descontentamento e obter vantagem na argumentação junto das populações menos esclarecidas!

O PSD em Salvaterra de Magos com uma pergunta, tentou levantar uma suspeita sobre um Presidente de Câmara eleito pelo Partido Socialista, questionavam então “Sabia que o presidente do concelho de administração das «Águas do Ribatejo» é o presidente do município de Almeirim?” o que estava em causa era uma notícia de um investimento de 10 milhões de euros das Aguas do Ribatejo em Almeirim.

A seriedade e honestidade que temos que ter com as pessoas, levam-me a esclarecer apenas o seguinte, se é verdade que está previsto um investimento na ordem dos 10 milhões de euros em Almeirim, não é menos verdade que para Salvaterra de Magos o investimento previsto é de 15,3 Milhões de euros.

As questões do saneamento básico e abastecimento de água não são uma obra acabada nem devem ser objecto de discussão político-partidária. Não há desenvolvimento sustentável possível sem os nossos munícipes terem acesso aos mais básicos dos direitos.

De demagogia estamos todos fartos!

Contem connosco para identificar os problemas, discutir soluções e prioridades de intervenção, encontrar financiamentos e executar obra!

Nuno Mário Antão

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Orgulho

Numa sociedade de consumo imediato, há medidas que passam ao lado de tudo e de todos! De todos, não! Há pelo menos, 464 mulheres que sentem bem na vida a simplicidade de uma decisão política.


Hoje no DN ficamos a saber que "A vacinação contra o cancro do colo de útero já terá evitado 464 mortes e 2225 casos de cancro em apenas quatro anos."

Ficam a saber que fico muito orgulhoso de ter partilhado esta decisão com o meu grupo parlamentar e governo no mandato 2005/2009

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Caixa de Pandora

Passado o primeiro impacto do sorriso :)

Importa agora reflectir se efectivamente é isto que queremos para iniciativas como o Festival Eurovisão da Canção....e se um dia destes aparecer um qualquer grupo radical alemão anti semita, ou francês a apelar ao fim do acordo de schengen?

Estamos todos disponiveis para aceitar os efeitos da abertura desta caixa de pandora?

Eu não estou!

terça-feira, 3 de maio de 2011

Acordo

A analisar nos próximos dias, mas para inicio de debate....os piores cenários (próprios dos Velhos do Restelo) não se confirmam....e mais uma vez se confirma a velha máxima....foram manifestamente exagerados os anúncios da morte (política) de Teixeira dos Santos!!


sexta-feira, 25 de março de 2011


Mais do só desligar as luzes....um processo mecânico simples, mas cheio de resistência mental. Importa sim refletirmos sobre os nossos (individuais e colectivos) padrões de consumo. Não é preciso mudanças radicais, mas se todos mudarmos um pouco, o mundo também muda!

terça-feira, 22 de março de 2011

Politécnicos vs Universidade

Quando entrei para a Juventude Socialista (1991) algumas das bandeiras da luta dos jovens eram o fim do serviço militar obrigatório, Timor e a sua independência e a Universidade do Ribatejo. Concentro-me hoje nesta última bandeira, depois de nas últimas semanas a discussão ter voltado ao plano público na nossa região! 20 anos depois as divergências continuam e ferem de morte qualquer discussão séria sobre a organização do ensino superior no distrito de Santarém.


Reiniciar a discussão sobre a Universidade do Ribatejo pelo argumento economicista é matar à nascença o debate! Sempre entendi que a educação tem de ser discutida como um investimento (e de que forma o país o consegue rentabilizar) e não como uma despesa!

Faz sentido sermos o único distrito com 2 institutos politécnicos, que são muito mais do que termos ensino superior em Santarém e Tomar? Convém não esquecer as escolas superiores em Rio Maior, Torres Novas e Abrantes. Isto será com toda a certeza aquilo que nos faz ser únicos…o desenvolvimento polinucleado. O distrito desenvolveu-se assente no crescimento das suas cidades, e não em torno da sua capital e verdade seja dita cresceu na divergência e não na convergência! (como lembra e bem José Eduardo Carvalho… dois politécnicos, duas associações de municípios, quatro hospitais)

Hoje o que interessa não é o que nos dividiu nem quanto poupamos, o que efectivamente interessa é discutir formas de cooperação e como aproveitamos esta organização para nos tornarmos competitivos no mundo, com um leque alargado de oferta devidamente articulado com as necessidades da região, do país e da Europa.

Mais do que evidenciar o que nos divide é preciso valorizar e potenciar o que nos une! Se o caminho for este, haverá resultados, se ao invés continuarmos a discutir quem lidera, pode ser que daqui a mais vinte anos o tema regresse.

Nuno Mário Antão
22 Março de 2011

Notas breves (muito breves…)

1. Fica bem ao líder da JSD reconhecer o forte investimento que está a ser feito no Hospital Distrital de Santarém, assim todos os seus companheiros o fizessem!

2. Universidade do Ribatejo ou Universidade do Vale do Tejo? Quem conhece bem a realidade do distrito, sabe bem que isto não é um pormenor… pode fazer toda a diferença.

3. Parabéns ao Ribatejo, excelente evolução na imagem e grande trabalho sobre o ensino superior (n.º 1324)

sexta-feira, 4 de março de 2011

Concheiros de Muge










Hoje são Património Nacional!

Em 2005 a valorização deste património era a que era, hoje ainda é pior!

Perdemos ao longo dos anos oportunidades atrás de oportunidades, este é um património único no mundo, com capacidade de servir de ancôra, por exemplo, na aposta no turismo. Só não percebe isto quem não quer! ou não tem visão nenhuma sobre a capacidade do nosso concelho em diferenciar-se num mundo com cada vez menos fronteiras.

(esta apresentação foi feita em 2005 para demostrar a diferença entre as palavras e a realidade)

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Desafio

“Não há concelhos subdesenvolvidos, há concelhos sem projectos”

José Eduardo Carvalho

Nem mais! A conclusão tem tanto de óbvio como de intrigante.

Ao ler esta conclusão de José Eduardo Carvalho, penso em vários concelhos do nosso distrito, centro-me no “meu”, Salvaterra de Magos!

Como foi possível chegarmos a este ponto?

Eu ainda sou do tempo em que a velhinha “ponte de Benavente” era a “desculpa” para o subdesenvolvimento do nosso concelho. Era a “desculpa” e a realidade, quem não se lembra o tormento que era passar por ela, com uma EN114 até Coruche que metia medo (morreram vários amigos meus nela) e com uma EN118 que não nos aproximava dos centros de decisão, mas pelo contrário nos afastava mais ainda, sendo obrigatória a passagem pela, também ela, velhinha ponte D. Luís e mais uma “carrada” de curvas a subir até Santarém. Este é efectivamente um cenário do século passado, mas de século passado muito próximo, meados dos anos 90. Dizia-se então que estes eram os principais constrangimentos ao desenvolvimento económico e social do concelho de Salvaterra de Magos, enquanto a situação se mantivesse dificilmente cresceríamos! Havia ideias, havia projectos…depois de passada a fase da infra-estruturação, saneamento básico, água, redes viárias alcatroadas, postos médicos e centro de saúde, escolas, centro de dias, lares…era altura de avançarmos…novo impulso à zona industrial de Muge e grande velocidade ao projecto da Quinta do Pinheiro, como projecto âncora do crescimento!

Resolvidos os problemas das acessibilidades com a nova ponte/viaduto de Benavente, que mais tarde foi complementada com a Ponte da Lezírias, quando já tinha sido requalificadas as EN 114 e 118 e pelo meio com a Ponte Salgueiro Maia e o acesso à A13 nos Foros de Salvaterra, eis que surge outro entrave ao desenvolvimento do concelho! A actual Presidente de Câmara vence as eleições, foram muito os factores que levaram a Senhora ao poder, mas nenhum deles foi um projecto para Salvaterra de Magos e hoje 13 anos depois os reflexos são mais que muitos! Perdemos todos os dias competitividade com os nossos vizinhos, desperdiçamos oportunidades umas atrás das outras e vamos chegar a 2013 (felizmente o fim deste ciclo) pior do que estávamos em 1997!

O desafio que vos deixo é simples, o Concelho de Salvaterra de Magos precisa de projectos, precisa de gente com vontade, com ideias e espírito construtivo, onde o debate impere, onde em conjunto se definam estratégias e se avance!

A alternativa a este caminho é óbvia, um dia destes aparece por ai alguma alma a sugerir que sejamos anexados aos Concelhos de Benavente e Almeirim.

Estão disponíveis para ser anexados ou vamos fazer pela nossa terra?

Nuno Mário Antão
18 Fevereiro 2011

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Os tempos…

Todos aceitamos como válidos os tempos que nos foram impostos…o ano, o mês, as semanas, os dias, as horas, os minutos…mas apesar de convencionado que assim o é, há mais tempos…cada um tem o seu…

Parece que é consensual nas oposições que o tempo deste governo acabou! Todos gritam, talvez para se conseguirem ouvir a si próprios, que precisamos de um novo governo e novas políticas.

Mas se é consensual para Verdes, PCP, BE, CDS e PSD que o tempo de Sócrates acabou, cada um deles tem o seu tempo, as últimas semanas foram mais que prova disso!

O PCP tem o tempo da ameaça e desafia os outros a dizerem o que faziam. Os Verdes como sempre alinham pelo tempo do comité central.

O BE se que ninguém o perceba, depois de responder ao PCP sobre a inutilidade da sua moção, avança no calor do debate com uma tirada daquelas, se o Senhor não apresenta, apresento eu! O tempo foi de ultrapassar o “colega do lado” e agora perdidos no tempo, procuram novo rumo, com cada vez mais dissidentes.

O CDS PP e de PP começa com uma analise dos resultados eleitorais das Presidenciais como o fim do tempo deste Governo e acaba abstendo-se, como sempre a coerência não abunda quer no CDS quer em PP. A verdade é quando parecia estar a perder terreno para o PSD, Portas sai com a decisão do ano, este afinal não era o tempo de derrubar o governo, mas sim o tempo de dizer, presente! Com a anunciada abstenção, a posição do parceiro de direita tornou-se irrelevante para a aprovação da moção de censura.

O PSD enredado em tácticas e estratégias de poder não consegue encontrar o seu tempo, e o mais provável é um dia destes nem sequer conseguir encontrar o seu líder, entre avanços e recuos o PSD mais liberal dos tempos da democracia portuguesa está cada vez mais parecido com as esquerdas radicais…quanto pior melhor! Quanto pior melhor! Um dia destes encontram o tempo, não será é o deles (outra vez) Mas quem em seis anos, teve seis lideres, mais um menos um não fará grande diferença.

Entre a irresponsabilidade política de tentar provocar crises políticas umas atrás das outras e a responsabilidade de criar condições e soluções para resolver os problemas do país, estão dez milhões de portugueses que não perdoarão com toda a certeza, a cobardia daqueles que achando que o tempo acabou, apostam tudo nos tempos de quanto pior melhor!

Uma certeza tenho, estes não são tempos de e para cobardes, são tempos de resistência, ousadia e de esperança, e neste campo só um decisor tem demonstrado estar à altura dos tempos, José Sócrates!

Deixem-se de jogadas e joguetes e cheguem-se à frente! É disso que Portugal precisa…o resto são sound bytes para entreter meia dúzia de comentadores.

Nuno Mário Antão
17 Fevereiro 2011

domingo, 13 de fevereiro de 2011

60 Horas

Ler um livro, ver um filme, brincar, dormir, conversar, limpar o carro e a casa! Tudo isto e muito mais podemos fazer em 60 horas, uma e outra e mais uma vez…mas quando se espera por uma criança, a única que fazemos enquanto esperamos… é nada! Olhamos um para o outro, rimos, tornamos a olhar e rimos novamente. A cada suspiro, a cada ai…é agora! É agora! ... hummmm… afinal não foi, e não foi uma e outra e mais uma boa dezena de outras 

Raios, que pai sofre (quer dizer, este é o sofrimento que desejo a todos os meus inimigos)…”amor, saiu o rolhão” não há forma de descrever como é acordar às cinco da manhã com esta notícia, é agora, é agora! e agora?

Pai sofre, nunca tanto como a mãe, abençoada com esta pequena maravilha de gerar vida dentro dela durante nove meses. O que sofremos nós comparado com elas?

Não consigo imaginar o que a Anabela sentiu e sente (sim, sente porque o relógio continua a contar…) dentro dela, não consigo perceber o que é sentir todos os seus órgãos internos serem comprimidos e sujeitos a tareias sucessivas de pontapés, muros, cabeçadas, cotoveladas e outras porradas, num autêntico treino de um atleta que se preparar para disputar as olimpíadas em todas as modalidades! 

Não consigo imaginar, mas sei bem a ansiedade que um pai sente…estás bem, dói-te alguma coisa, está tudo bem, o menino está sossegado? Bem…as perguntas são aos milhares, e a cada resposta, vinte segundos de tranquilidade e….mais ansiedade!

Durante estes nove meses os momentos de ansiedade foram se sucedendo uns aos outros, os testes! A primeira eco! A amniocentese! As consultas! e repete…ecos, consultas, analises… o pensamento é sempre o mesmo…estará tudo bem? Felizmente esteve e está tudo bem! Mãe e menino em grande forma.

Mas, voltando ao “saiu o rolhão”….ora pois muito bem…este é o primeiro sinal de pré parto…está tudo pronto, venha de lá o rapaz….venha, venha…ele vir vem…já passaram foi 60 horas 

60 horas em que podíamos ter feito tudo, mas não fizemos, olhamos um para o outro e rimos!

São tantas as pequenas histórias que ficam de uma gravidez, centenas e centenas de momentos e emoções, a experiencia de sermos pais é maravilhosa, momentos únicos!

…e prontus… já esperámos 60 horas e estamos preparados para outras 60! (brincadeirinha)

Nuno

(entretanto já passaram mais duas horas e o Benfica já ganha por dois a zero)